Search
domingo 23 julho 2017
  • :
  • :

Vídeo: Challenger Hellcat, Com 717 Cv, Ofusca Até Vizinha Picape Ram

Desde 2014 a Chrysler faz parte do conglomerado Fiat Chrysler (FCA), e a maior beneficiada com a fusão foi a marca Jeep, que cresceu mais do que qualquer outra no último ano, principalmente com o Renegade.

 Salão de SP 2016Feira vai de 10 a 20 de novembro

A trajetória deve continuar ascendente com o Compass, que teve lançamento mundial no Brasil em setembro. Embora o novo SUV ainda seja uma novidade para os consumidores, no Salão de São Paulo quem se destaca são as outras marcas do grupo: Dodge, Chrysler e Ram.

Com 717 cavalos, o Dodge Challenger SRT Hellcat é um dos carros mais potentes do evento.

São quase 90 kgfm de torque saindo do primeiro Hemi V8 6.2 supercomprimido (não é turbo), que pode ser combinado a um câmbio automático de 8 marchas ou a um manual de 6.

O G1 registrou o ronco do motor em pleno salão: confira no vídeo acima.

Só na vontadeEle vem com duas chaves: a preta limita a potência a “apenas” 500 cv. Só se o motorista ligar o carro com a vermelha é que poderá sentir toda a força do “muscle car”. O desenho é inspirado na geração da década de 1970.

No entanto, sua aparição será quase tão rápida quando os 3 segundos que ele leva para acelerar de 0 a 100 km/h, já que ele não deve ser vendido por aqui pela marca. Quem se interessar, pode tentar empresas de importação direta, que cobram cerca de R$ 630 mil pelo carro (com o dólar perto de R$ 3,30).

Dodge Challenger Hellcat (Foto: Alan Morici/G1)Dodge Hellcat (Foto: Flavio Moraes/G1)Dodge apresenta novo modelo do Dodge Hellcat no Salão do Automóvel de São Paulo 2016 (Foto: Flavio Moraes/G1)Dodge apresenta novo modelo do Dodge Hellcat SRT no Salão do Automóvel de São Paulo 2016 (Foto: Flavio Moraes/G1)

 

Dodge Hellcat (Foto: Flavio Moraes/G1)

PacificaPrincipal lançamento da Chrysler no Salão de Detroit, em janeiro, a Pacifica é na verdade a substituta da Town & Country. O modelo só começa a ser vendido por aqui em 2017, mas já dá as caras no Salão de São Paulo.

A minivan traz uma série de equipamentos interessantes, como abertura das portas laterais por movimento dos pés e possibilidade de “esconder” os assentos no assoalho, liberando espaço no porta-malas.

Chrysler Pacifica (Foto: Alan Morici/G1)Chrysler Pacifica (Foto: Alan Morici/G1)

Mesmo com o visual “família”, o monovolume esconde sob o capô uma dupla digna de carros esportivos: motor V6 de 3.6 litros, que rende 291 cavalos de potência, e câmbio automático de 8 velocidades.

Pela alta tecnologia, a Pacifica também foi escolhida pelo Google como o próximo modelo que integrará sua frota de autônomos – carros que andam sem motorista – nos Estados Unidos.

Ram 1500Depois de 2 anos ausente, a Ram voltou a vender no Brasil a picape 2500 no final do ano passado. E agora a marca traz sua “irmã” menor, a 1500, que segue a tradição americana, sendo visivelmente maior do que uma média brasileira, como a Hilux ou a S10.

A versão exibida no Salão é a Laramie, com a maior cabine disponível para o Crew Cab, ou seja, a que deve ser importada ao Brasil em 2017, já que a marca costuma trazer somente os modelos mais equipados.

Caminhonete RAM 1500 é apresentada no estande da Chrysler no Salão do Automóvel de São Paulo 2016 (Foto: Alan Morici/G1)Caminhonete RAM 1500 é apresentada no estande da Chrysler no Salão do Automóvel de São Paulo 2016 (Foto: Alan Morici/G1)

A Ram 1500 Laramie é empurrada por um V6 3.0, de 243 cv, aliado a câmbio automático de 8 marchas. Entre os itens de série, 6 air bags, teto solar, bancos dianteiros com aquecimento e ventilação, 9 alto-falantes, subwoofer e chave de presença com abertura das portas, caçamba e ignição.

Diferentemente da grandalhona 2500, que exige habilitação para dirigir caminhões, a estrela da Ram no Salão de São Paulo pode ser guiada com a CNH de categoria B, para automóveis.

Grand Cherokee SRTO SUV da Jeep também aparece no Salão em sua versão mais nervosa, também equipada com motor V8 6.4 Hemi, com 481 cv e 65 kgfm. A aceleração de 0 a 96 km/h é feita em 4,8 segundos e a velocidade máxima chega a 257 km/h, conforme a fabricante.

ClássicoOutro modelo que estreia no Brasil é uma homenagem aos primeiros veículos da Jeep: o Wrangler Unlimited Willys. Ele tem detalhes emprestados da versão Rubicon, suspensão reforçada, protetores adicionais na parte inferior, revestimento especial nos bancos e tapetes especiais da Mopar.