Search
sexta-feira 23 junho 2017
  • :
  • :

Investigação Atinge Presidente Do Conselho Da Volkswagen

Pötsch fala sobre resultado de investigação na Volkswagen (Foto: REUTERS/Nigel Treblin)

A promotoria da cidade alemã de Braunschweig ampliou a investigação sobre o escândalo de manipulação de emissões pela Volkswagen, incluindo o atual presidente do conselho de administração da empresa, Hans Dieter Pötsch, revelou a montadora alemã neste domingo (06).

 ESCÂNDALO NA VW Volkswagen é acusada de fraudar testes

Quando o escândalo de manipulação de testes de emissões de poluentes estourou, em setembro de 2015, Pötsch era o diretor financeiro da Volkswagen. Ele foi nomeado presidente do conselho de administração em outubro do ano passado.

Em comunicado divulgado neste domingo, a montadora afirma que a promotoria está investigando dois membros do conselho de administração por suspeita de manipulação do mercado – Pötsch e outro funcionário cujo nome não foi divulgado.

Segundo a nota, a investigação se refere ao período em que Pötsch foi diretor financeiro – de 2003 a outubro de 2015. “A empresa e Hans Dieter Pötsch vão continuar apoiando a promotoria em sua investigação”, diz o texto.

A montadora garante que, “com base na análise cuidadosa de peritos internos e externos”, os membros do conselho de administração cumpriram todas as obrigações de prestação de informação ao mercado previstas na lei alemã.

O ex-presidente da Volkswagen Martin Winterkorn – que renunciou em meio ao escândalo de emissões – e o atual diretor da marca Volks, Herbert Diess, são investigados desde junho por suspeita de manipulação do mercado.

Centenas de processo judiciais foram abertos contra a companhia desde que o escândalo estourou. A Volkswagen reconheceu ter instalado um software que desativava controles de poluição em mais de 11 milhões de veículos a diesel vendidos no mundo.

No final de outubro, um juiz federal americano aprovou um acordo de US$ 14,7 bilhões proposto pela montadora para indenizar proprietários de automóveis envolvidos no escândalo.

Audi Q7 traz motor V6 de 333 cv (Foto: Divulgação)

Audi no escândaloTambém neste domingo, o jornal Bild am Sonntag noticiou que a Audi, subsidiária da Volkswagen, está mais envolvida no escândalo de emissões do que se sabia até o momento.

Segundo a publicação, a autoridade ambiental da Califórnia (Carb) descobriu, em meados deste ano, mais uma função ilegal de um software em um Audi com motor V6.

O software teria sido usado durante anos para a manipulação de valores de CO2 em veículos a diesel e à gasolina na Europa. Nem a Carb nem a Volkswagen tampouco a Audi quiseram comentar o assunto neste domingo.