Search
terça-feira 30 maio 2017
  • :
  • :

Chevrolet Camaro 2017: Primeiras Impressões

O Chevrolet Camaro anterior era como aquele cachorro grande, forte, mas totalmente desajeitado, que parece querer atropelar o dono quando sai para passear. Imagine que este cão passou por um adestramento e aprendeu novos “modos”, sem perder o instinto: é a mesma sensação que a nova geração do esportivo da GM passa.

saiba mais

Apresentada em maio do ano passado nos Estados Unidos, ela acaba de chegar ao Brasil na série especial Fifty, limitada a 100 unidades. Foi uma das estrelas da marca no Salão de São Paulo, no início deste mês.

Cada uma sai por R$ 297 mil, um aumento de R$ 66 mil em relação à geração anterior. No entanto, segundo o presidente da GM do Brasil, Carlos Zarlenga, praticamente todas as unidades já foram vendidas.

Camaro no estande da Chevrolet no Salão do Automóvel de São Paulo 2016 (Foto: Alan Morici/G1)

Jogo dos 7 errosNuma rápida passada de olhos, não é possível identificar mudanças profundas no “muscle car”. Até porque não poderia ser diferente. Os contornos do Camaro continuam bem generosos e definidos, principalmente na parte traseira, acima das rodas.

Mas há novidades, sim. Os faróis ganharam assinatura de LED e lâmpadas de xenônio. Para o bem da visibilidade, os retrovisores estão maiores, enquanto a grade dianteira ficou mais fina, ao passo que a tomada de ar inferior está maior.

Chevrolet Camaro: antes e depois (Foto: Divulgação)Chevrolet Camaro: antes e depois (Foto: Divulgação)

É mais fácil encontrar as mudanças na traseira. Por lá, as lanternas ganharam uma divisão interna, além de um formato mais curvo. O para-choque também está menos reto, com novos contornos.

Dieta forçadaSe o desenho manteve o jeitão retrô, por baixo deste “corpinho” estão as maiores revoluções da sexta geração. A começar pela plataforma, que mudou da Zeta (do antigo Omega) para a Alpha (do Cadillac CTS). Isso ajudou numa considerável redução de peso: 83 kg a menos do que no Camaro anterior.

Outro resultado da “dieta” são as medidas mais enxutas: 5,2 cm a menos no comprimento, 4 cm no entre-eixos, 2,6 cm na largura e 3,1 cm na altura. Por fim, o uso de materiais mais “nobres” ajuda a fechar a conta. Enquanto o Camaro anterior tinha apenas 19% de metais de alta e ultra resistência, o novo tem 43%.

A engenharia da GM se esforçou também para deixar o esportivo mais estável. A carroceria está 28% mais rígida. A arquitetura da suspensão foi renovada: tanto a dianteira como a traseira utilizam o tipo multilink.

Motor V8 6.2 do Camaro é o mesmo do Corvette (Foto: Divulgação)

Motor de CorvetteA GM fala que apenas a famosa gravata simbolo Chevrolet e o SS que dá nome à versão são os mesmos da geração anterior.

O motor V8 de 6.2 foi substituído. Agora, ele é o mesmo que equipa o Corvette Stingray. São 461 cavalos e 62,9 kgfm de torque, ou 55 cv e 6,2 kgfm a mais do que o anterior.

A transmissão automática de 8 marchas também foi herdada do Corvette, e substitui uma similar, mas de 6 velocidades. Há opção de trocas por meio de borboletas atrás do volante.

O Camaro alcança os 290 km/h e acelera de 0 a 100 km/h em 4,2 segundos. De quebra, está até 16% mais econômico em ciclo urbano e 20% em ciclo rodoviário, sempre de acordo com os números da Chevrolet.

Nova geração do Camaro está 55 cv mais potente (Foto: Divulgação)

Como anda?O evento de lançamento do Camaro foi no autódromo Velo Città, em Mogi Guaçu (SP). Antes do contato com o carro, houve um estranhamento pela escolha do local, já que a geração anterior do esportivo era conhecida justamente por não oferecer tanta capacidade de contornar curvas com agilidade.

Uma grata surpresa: o Camaro se tornou um “devorador” de curvas

Depois de comprovar tal tese, dando uma volta na pista com a quinta geração, uma grata surpresa: o Camaro se tornou um “devorador” de curvas.

O primeiro contato foi com a versão conversível, que oferece menos rigidez do que o cupê. Ainda assim, o esportivo se comportou muito bem, sem torcer a carroceria.

 + DE AUTOESPORTESiga o programa nas redes sociais

No cupê foi comprovado o resultado do “adestramento”: além da maior rigidez, o motor oferece mais força nas saídas de curva, sem “brigar” com o motorista. Para ajudar, o volante menor tem boa pegada, enquanto a direção está mais precisa.

Aqui vale uma menção aos novos modos de condução. São 4: neve (que, no Brasil, pode ser usado para terrenos com pouca aderência), passeio, sport e pista.

Mesmo que a opção seja pelo mais suave dos ajustes, o Camaro ainda se comporta como um esportivo. Agora, se a escolha for pelo modo mais dinâmico, a direção fica rígida e o acelerador, mais sensível. É a fórmula ideal para a diversão.

Interior do Chevrolet Camaro (Foto: Divulgação)

Atenção ao interiorOs que preferem um passeio mais “tranquilo” também podem apreciar a cabine totalmente remodelada. Ainda há plástico duro em partes das portas e na faixa superior do painel. Mas há uma clara percepção maior de qualidade no conjunto da obra.

Além da melhora nos materiais, a ergonomia evoluiu bastante. O volante de mesmo desenho dos demais modelos da marca ganhou visual exclusivo. No quadro de instrumentos há uma tela central configurável. Ela exibe informações dos relógios que antes ficavam na base do console, em posição pouco prática. A substituição da alavanca de freio por um botão também é muito bem-vinda.

Quadro de instrumentos tem relógio para acelerações de 0 a 100 km/h (Foto: Divulgação)

Ganho em equipamentosO Camaro passa a contar com uma série de novos equipamentos. Parte da melhoria na dirigibilidade se deve ao sistema de vetorização de torque, que envia a dose necessária de força para cada uma das rodas.

A lista de itens de série também inclui computador de bordo com cronômetro de aceleração de 0 a 100 km/h, MyLink de segunda geração, com Android Auto e Apple CarPlay, ar-condicionado digital de duas zonas, bancos com ajustes elétricos, acesso e partida com chave presencial, altera de ponto cego e de movimentação traseira, sensores de luz, chuva e estacionamento, 8 airbags, rodas de 20 polegadas e carregador de celular por indução.

Chevrolet Camaro (Foto: Divulgação)

ConclusãoTamanha evolução entre uma geração e outra têm um preço. E, no caso do Camaro, essa diferença de R$ 66 mil é suficiente para comprar um Chevrolet Prisma LTZ automático. Ainda assim, ele é mais barato do que seus rivais diretos.

Aumento de preço entre gerações equivale ao custo de um Chevrolet Prisma automático; ainda assim, é mais barato que rivais alemães

Os alemães Mercedes-AMG C 43 Coupé e BMW M2, ambos com potência na casa dos 370 cv, custam R$ 397,9 mil e R$ 379.950, respectivamente.

Na Audi, o TTS Coupe fica mais próximo em preço, R$ 299.990, mas perde feio em potência, com 286 cv.

Até a geração anterior, o Camaro era conhecido por ser um esportivo para estradas retas. Inclusive, dificilmente seria considerado opção aos esportivos alemães, tamanha diferença dinâmica entre os modelos.

Com tanto esforço da GM em aprimorar seu “muscle”, o Camaro finalmente mostra que é páreo. E ainda faz tudo isso sem perder o jeitão que o consagrou 50 anos atrás.

Chevrolet Camaro (Foto: Divulgação)