Search
segunda-feira 24 julho 2017
  • :
  • :

Bmw S 1000 Xr: Primeiras Impressões

BMW S 1000 XR (Foto: Caio Kenji / G1)

 

A BMW criou a S 1000 XR para tentar unir o melhor dos dois mundos da marca. Conhecida principalmente por suas grandes aventureiras, como a R 1200 GS, a montadora obteve também muito sucesso no segmento esportivo, com a S 1000 RR, que, por sua vez, deu origem para a naked S 1000 R.

 + DE AUTOESPORTESiga o programa nas redes sociais

Utilizando esta mesma base com motor de 4 cilindros de 999 cc, a empresa apostou em uma crossover, a S 1000 XR, um estilo que vem ganhando muito espaço entre as motos.

Como nos SUVs, a ideia é trazer a robustez e conforto de um modelo aventureiro, com suspensões mais altas, mas a esportividade de uma moto destinada ao asfalto.Como essa receita na mão, e a experiência da empresa com a linha GS, a marca pegou a naked S 1000 R e mudou as suspensões, ergonomia e o visual.Mas será a S 1000 XR uma boa opção entre as crossovers? Na disputa estão também a mais radical Multistrada 1200, que tem motor de 2 cilindros, e a Kawasaki Versys 1000, que também aposta em um motor de 4 cilindros.

 

Motor de esportivaPor sua proposta mais estradeira, a S 1000 XR recebeu novo ajuste no motor. Enquanto na S 1000 RR ele rende 199 cavalos de potência, na S 1000 XR são 160 cavalos – mesmo número de S 1000 R.A ideia foi deixar o motor mais linear e favorecer o torque, o que tem bem mais a ver com a finalidade de uso da S 1000 XR.Com os mapas de potência disponíveis, nos modos Rain, Road e Dynamic, é possível deixar a moto mais “tranquila” para rodar na cidade, utilizá-la de modo divertido na estrada e ainda deixar a esportividade aflorar. Isso fica bem latente pelo alto ronco do motor.

BMW S 1000 XR tem visual aventureiro (Foto: Caio Kenji / G1)

 

 

O único incômodo fica por conta de uma certa vibração em altos giros do motor percebida, principalmente, pelas mãos do motociclista. A S 1000 XR não esconde a sua alma esportiva vinda da S 1000 RR e, se você esquecer o visual da moto e o posicionamento do piloto, pode realmente achar que está em um moto “sport”.As acelerações são brutais e ganham a ajuda do sistema “quick-shifter”, que deixa o motociclista trocar de marcha, quando se está acelerando, sem o uso da embreagem. O dispositivo é interessante e as trocas são bem concisas e rápidas.

Bolha dianteira tem regulagem (Foto: Caio Kenji / G1)

Várias motos em umaNão é só o motor que tem seu comportamento alterado: o usuário ainda pode ajustar as ações do freio ABS, controle de tração e até mesmo a suspensão, que é eletrônica. Assim, a S 1000 XR pode ser várias motos em uma só.As suspensões conseguem oferecer conforto, mesmo em pisos esburacados, mas com a rigidez necessária para mergulhar nas curvas com estabilidade, como uma esportiva. As trocas de direção são bem rápidas e é possível esquecer se tratar de uma moto de quase 230 kg.

Painel da BMW S 1000 XR (Foto: Caio Kenji / G1)

 

 

 

Tanto o ABS como o controle de tração passam a sensação de muita segurança na pilotagem. E, como é possível ajustá-los, o motociclista escolhe se os quer mais ativos ou não.

Mas tudo depende do intuito: se preferir relaxar e curtir a viagem, a moto oferece um posicionamento confortável para o motociclista, com o guidão alto e pedaleiras em posicionamento que não deixam as pernas demasiadamente flexionadas.Ao contrário da naked S 1000 R, que não tem praticamente proteção alguma, a S 1000 XR oferece uma alta bolha, com regulagens, e também tem auxílio das carenagens laterais para aumentar o conforto do motociclista.O protetor de mão também ajuda nisso, além de dar o visual aventureiro, que é o que busca esse segmento. Com o banco em dois níveis e mais esportivo, o conforto para os garupas está longe de ser como da linha GS, mas também não compromete.

Posicionamento é confortavel (Foto: Caio Kenji / G1)

Não tem ‘medo’ de terra, mas…A proposta da moto não é de ser uma aventureira, ou seja, a terra não é o seu forte. Mas, ao contrário de uma naked ou uma esportiva, a S 1000 XR não tem ‘medo’ da terra. Se for preciso encarar trechos de terra durante uma viagem, não haverá problemas, desde que o motociclista tenha bom sendo.

Além disso, as rodas são de 17 polegadas e não não capazes de transpor obstáculos mais difíceis como uma 19 ou 21 polegadas.ConclusãoA S 1000 XR possui um comportamento quase impecável, tirando as vibrações mencionadas, e atinge o seu objetivo de ser uma estradeira de primeira, com o conforto de uma aventureira. O preço não é exatamente atraente, mas entrega um pacote bem completo para o segmento, além do motor mais potente.

BMW S 1000 XR (Foto: Caio Kenji / G1)